Blog

Arquivo de novembro de 2012

Leitura de obras clássicas pode diminuir pena de detentos em Santa Catarina

Por Toda Letra em 29 de novembro de 2012

Um projeto da Vara Criminal de Joaçaba, no Oeste de Santa Catarina, prevê a redução de até quatro dias na pena de detentos que lerem obras clássicas, de autores como Fiódor Dostoiévski, William Shakespeare e Charles Dickens.  O projeto é chamado de Reeducação do Imaginário e prevê a distribuição de obras clássicas  para leitura e posterior cobrança de pontos em entrevistas com o juiz seus assessores. Os participantes que demonstrarem compreensão do conteúdo poderão contar com o benefício da redução da pena. Até agora, 23 detentos do presídio de Joaçaba aderiram ao programa, que é voluntário.

“O projeto (…) visa a reeducação do imaginário dos apenados pela leitura de obras que apresentam experiências humanas sobre a responsabilidade pessoal, a percepção da imortalidade da alma, a superação das situações difíceis pela busca de um sentido na vida, os valores morais e religiosos tradicionais e a redenção pelo arrependimento sincero e pela melhora progressiva da personalidade, o que a educação pela leitura dos clássicos fomenta”, explica o juiz Márcio Umberto Bragaglia, autor da iniciativa.

O primeiro módulo consiste na leitura da obra “Crime e Castigo”, de Fiódor Dostoiévski. No segundo módulo, para o qual já existe etapa de aquisição de livros, os voluntários lerão “O Coração das Trevas”, de Joseph Konrad. Depois virão obras de William Shakespeare, Charles Dickens, Walter Scott, Camilo Castelo Branco e outros autores, todos recomendados por intelectuais do calibre de Otto Maria Carpeaux, Olavo de Carvalho, Harold Bloom e Mortimer J. Adler. Os livros serão adquiridos em edições de bolso, diretamente com verbas de transação penal destinadas ao Conselho da Comunidade, que juntamente com o Presídio Regional de Joaçaba participa do projeto encabeçado pela Vara Criminal.

No lançamento da iniciativa, em 23 de novembro, cada participante recebeu uma edição de “Crime e Castigo”, acompanhada de um dicionário de bolso. As avaliações ocorrerão em 30 dias. O projeto conta com o apoio e a participação do Ministério Público de Santa Catarina, por meio do promotor de justiça criminal de Joaçaba, Protásio Campos Neto. “Não vou subestimar a capacidade de vocês, não vou sugerir que leiam best-sellers, autoajuda, subliteratura ou outras inutilidades. Ao contrário! Todo ser humano, por mais difícil que seja sua situação ou por mais precária que tenha sido sua educação, tem condições de ler grandes obras com proveito, e é isto que torna essas obras eternas: o quanto elas falam da experiência concreta, da alma humana”, declarou o juiz aos detentos.

Você é a favor da iniciativa? Comente abaixo!

Lideranças femininas do candomblé serão homenageadas em livro

Por Toda Letra em 26 de novembro de 2012

A liderança feminina nos terreiros de candomblé, o trabalho das yalorixás baianas para afirmação negra e combate à intolerância religiosa serão destaque do livro “Mulheres de Axé”. O projeto será viabilizado por meio de convênio assinado em Salvador entre Governo do Estado da Bahia e ONG Ação pela Cidadania. O ato aconteceu no Dique do Tororó, após a tradicional Alvorada dos Ojás, ritual das religiões de matriz africana, que envolveu as árvores do entorno com a cor branca, num pedido de paz para a Bahia.

A titular da Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM), Lúcia Barbosa, disse que a iniciativa de apoiar a publicação faz parte do esforço do Estado para promoção e visibilidade das mulheres negras. “Elas sofrem tripla discriminação. Pela raça, gênero e religião que professam”, comentou, lembrando que a ação é associada aos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência e à série de atividades do Novembro Negro.

A publicação vai reunir textos e fotos sobre a história de 150 yalorixás de Salvador e Região Metropolitana, além do Recôncavo. “É uma maneira inteligente de utilizar a literatura. Reforça a ideia de que educação é o caminho para as transformações”, comentou a ebomi Sandra Bispo, do terreiro Casa de Oxumaré e do Movimento Negro Unificado (MNU). Além da SPM, a Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi) e Casa Civil fazem parte da parceria.

Por que mudar?

Por Toda Letra em 23 de novembro de 2012

Falada por cerca de 220 milhões de pessoas no Brasil e no mundo — aproximadamente 190 milhões de brasileiros, outros 10,5 milhões de portugueses e demais falantes em países africanos e em comunidades na Ásia e América — a língua portuguesa figura entre as cinco primeiras posições das mais faladas do planeta.

No entanto, até 2009, era o único idioma ocidental a adotar duas grafias oficiais. O Novo Acordo das Regras Ortográficas da Língua Portuguesa surgiu justamente para unificar a grafia oficial. Ideia de um brasileiro – Antonio Houaiss – o processo levou quase 20 anos para ser finalizado. Para isso, era necessário que três países da CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa) assinassem o acordo. Os primeiros foram Brasil e Cabo Verde, e em 2008 São Tomé e Príncipe concedeu a terceira assinatura, o que fez valerem definitivamente as novas regras.

As mudanças na língua portuguesa do Brasil passam pelas regras de acentuação, uso do hífen e número de letras do alfabeto. Já para os outros países (Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal e São Tomé e Príncipe), essas mudanças estão mais restritas à grafia das palavras.

Biblioteca Pública do Paraná será reformada e revitalizada

Por Toda Letra em 22 de novembro de 2012

O projeto de revitalização da Biblioteca Pública do Paraná foi apresentado nesta semana pelo arquiteto Manoel Coelho em Curitiba. O encontro também contou com a presença do Secretário de Estado da Cultura, Paulino Viapiana, e do diretor da BPP, Rogério Pereira.

Responsável por projetos de outras importantes bibliotecas de Curitiba (entre elas a da PUC PR e da Universidade Positivo, bem avaliada pelo jornal Gazeta do Povo em reportagem nesta semana), Coelho falou sobre a reformulação do prédio da BPP, que inclui — entre outras mudanças — o fechamento das laterais do prédio e a troca de todo o mobiliário das salas. Com o novo projeto, outra importante mudança se dará no Hall Térreo da Biblioteca, que abrigará um café e um espaço maior para exposições e lançamento de livros. Além disso, o mobiliário das salas será trocado por peças modernas, com poltronas e pufes à disposição em todos os ambientes do prédio — o que vai proporcionar mais conforto ao público. A seção infantil, que já passou por uma reformulação, também terá novos equipamentos.

Projeção de como ficará o hall de acesso principal da BPP após a reforma (Foto: Divulgação).

“Não haverá interferência na estrutura do prédio, feito pelo engenheiro Romeu Paulo da Costa, e que é exemplo maravilhoso do modernismo. No entanto, alguns espaços bastante amplos estão subvalorizados. O projeto visa também fazer um rearranjo das salas, e viabilizar acessibilidade”, diz Coelho.

O secretário de Estado da Cultura do Paraná (Seec), Paulino Viapiana, comentou que a Biblioteca Pública vem cumprindo a missão de difusão do conhecimento, por meio de diversas ações e projetos. “No entanto, chegou o momento de modernizar e atualizar tecnologicamente o prédio, o que ajudará ainda mais na promoção do conhecimento”, disse Viapiana.

Projeção de como ficará a área de exposições da BPP após a reforma (Foto: Divulgação).

Rogério Pereira, diretor da BPP, lembrou que o projeto é mais um passo para que a Biblioteca Pública do Paraná entre em sintonia com o seu tempo. “Neste ano de 2012, já fizemos a reforma das redes lógica e elétrica do prédio, que possibilitou a implementação da rede wireless. O projeto apresentado pelo arquiteto Manoel Coelho vai possibilitar que a Biblioteca seja um espaço de convivência, que dará mais conforto a todos os nossos usuários, sejam os que buscam o nosso grande acervo ou aqueles que participam de nossas atividades culturais”, afirmou Pereira.

Desde 1954

Inaugurado em 19 de dezembro de 1954, o atual prédio da rua Cândido Lopes foi a primeira obra a ficar pronta a tempo das comemorações do Centenário da Emancipação Política do Paraná. Em 18 de dezembro de 2003, o prédio foi tombado como patrimônio cultural. “Para mim, foi muito gratificante realizar este projeto porque fui um frequentador assíduo da Biblioteca Pública do Paraná. Cheguei em Curitiba em 1960. Entrei na primeira turma de Arquitetura da Universidade Federal do Paraná, em 1962. Estou muito orgulhoso de participar dessa revitalização”, disse o arquiteto Manoel Coelho.


Quarta do Erro: ‘Exelente’ e ‘Feiticeros’

Por Toda Letra em 21 de novembro de 2012

Olhem a foto que o nosso leitor Ronaldo Santos Waltrich mandou para a nossa Quarta do Erro! “Essa foto foi tirada no restaurante popular do Pinheirinho de Curitiba”, contou Ronaldo. Os erros são evidentes:excelentes e feiticeiros estão com a grafia errada! O correto é excelente e não ‘exelente’ e feiticeiros e não ‘feiticeros’.

 Se você também tem fotos com erros de Língua Portuguesa, mande para nós!

20 de novembro: Zumbi revive

Por Toda Letra em 20 de novembro de 2012

Aline Reis*

especial para Toda Letra

Tem sido assídua na rede a reprodução de um vídeo no qual o ator Morgan Freeman explica “o que é racismo”. O nome do vídeo gera uma expectativa de uma explanação sólida e explicativa sobre o que seria racismo. O ator, no entanto, se posiciona contra o ‘Novembro Negro’ e em nenhum momento diz o que é o racismo.

Por outro lado a quantidade de replicação do vídeo foi muito grande. Inclusive com elogios ao posicionamento do ator. O Novembro Negro é um momento de reflexão, reafirmação e luta para o Movimento Negro. No Brasil temos mais destaque na data de hoje (20 de novembro) dia que é lembrada a morte de Zumbi dos Palmares, líder do maior quilombo da história brasileira.

Vamos às explicações, então. O racismo é “uma doutrina eu sustenta a superioridade de certas raças” (FERREIRA 2010). Então, quando você diz “serviço de preto” como se esse fosse inferior às outras etnias, você está sendo racista.

No mesmo sentido temos a palavra preconceito que etimologicamente é entendida como “ideia pré-concebida”. O papel dos movimentos sociais de negritude, além de tensionar o governo para a instituição da data e divulgação do Novembro Negro é destruir o preconceito e mostrar o que é racismo. Assim, Freeman foi infeliz nas declarações.

Ninguém quer falar de racismo porque racismo dói dos dois lados. Só que se Martin Luther King, Nelson Mandela, Abdias do Nascimento e tantos outros não tivessem falado de racismo os negros e negras ainda seriam preconcebidos como inferiores.

Em 20 de novembro Zumbi se revive nas palestras, nas entrevistas, na capoeira, nas religiões… Em novembro as pessoas enxergam – mesmo sem querer – seu racismo. Mas é só durante esse período, por agenda jornalística, que se abrem espaços nas tevês, rádios, portais de internet e jornais. Aí está a importância no Novembro Negro. É aí que Zumbi, Maria Nilza, Eduardo Borgh, Luiz Carlos Paixão e todos os afro-brasileiros têm a oportunidade de (se) ver.

O 13 de maio traz o fim da escravidão, mas o 20 de novembro mostra o processo de resistência. A data não é feriado, embora dias emblemáticos vividos por outros heróis da história Brasileira sejam comemorados, como Tiradentes. Ainda há um longo percurso para seguirmos, mas o novembro continuará negro enquanto for preciso relembrar que somos sim diferentes, mas não inferiores.

Jornal Cândido discute a influência da cidade na ficção de grandes autores

Por Toda Letra em 12 de novembro de 2012

De que forma a cidade interfere na ficção de grandes autores? Essa é a questão discutida pelo jornal Cândido em sua 16ª edição. O resultado desta investigação é um especial, em que escritores e especialistas tentam delimitar quando, e de que forma, as cidades passaram a ser representadas com expressividade na literatura. O jornal traz também um ensaio da pós-doutora Maria Antonieta Pereira e um mapa literário de Curitiba.

O filósofo e escritor Luiz Felipe Pondé, autor do best-seller Guia politicamente incorreto da filosofia, revela suas influências literárias na seção “Perfil do Leitor”. Em conversa com Miguel Sanches Neto, Luiz Vilela fala sobre sua premiada carreira e suas principais influências. A pedido do Cândido, o escritor Luiz Bras entrevista André Carneiro, precursor da literatura de ficção científica no Brasil e que há mais de uma década vive em Curitiba. Carneiro revê a própria carreira e fala sobre sua extensa produção artística, que deixou marcas indeléveis na fotografia, poesia e pintura.

Entre os inéditos, Deonísio da Silva surge com o conto inédito “Rua Quinze de Novembro, sem número”, o poeta Glauco Mattoso publica o poema “Cada malaco no seu malho [5554] e o jovem Renan Machado escreve ficção inédita para a seção “Em Busca de Curitiba”. Já o músico Oneide Dee Diedrich faz sua estreia na literatura com o conto “Os (M)eus tolos argumentos”.

Você pode ler a nova edição aqui.

Virada Cultural acontece neste fim de semana no Paraná

Por Toda Letra em 10 de novembro de 2012

Neste fim de semana (10 e 11 de novembro) o Paraná  será sacudido novamente pela Virada Cultural. O estado irá receber mais de 170 atrações artísticas. O evento é promovido pela Secretaria de Estado da Cultura, em parceria com o SESI-PR e os palcos montados em Campo Mourão, Cianorte, Curitiba, Foz do Iguaçu e Maringá irão reunir cantores nacionais e locais, além de apresentações de dança, teatro, feiras, mostras cinematográfica e muito mais. São mais de 24 horas de programação cultural.

Campo Mourão, Cianorte, Curitiba, Foz do Iguaçu e Maringá participam do evento com atividades em mais de 24 horas de programação (Foto: Kraw Penas/Divulgação)

“Temos uma programação intensa o ano todo, mas a Virada é um estímulo a mais para as pessoas saírem de casa e aproveitar um leque de opções culturais de qualidade”, diz o secretário de Estado da Cultura, Paulino Viapiana. O roteiro completo da Virada Cultural Paraná está disponível em aqui.

Em Campo Mourão o público poderá conferir no palco localizado na Praça São José atrações como a Orquestra Paranaense de Viola Caipira, Brasileirão e Quarteto em CY, Renato Teixeira, Big Time Orchestra e diversos grupos locais. Além disso, a Biblioteca Central, o Museu e o Paço Municipal e a Praça Getúlio Vargas serão palco de diversas atrações que envolvem filmes, artes plásticas, teatro, contação de histórias e música.

Em Cianorte a Virada Cultural ocorre na Praça João 23, onde foi montado o Palco Conexões, na Praça 26 de Julho e na Avenida Souza Naves. Por lá vão se apresentar grupos musicais como a Banda Sabonetes, Renato Teixeira, Brasileirão e Quarteto em CY, entre outros. Bandas locais, apresentações de dança, circo, capoeira, teatro, cinema e exposições completam a programação.

A Virada Cultural de Maringá abre oficialmente no sábado, às 12 horas, com a apresentação da Orquestra à Base de Sopro de Curitiba e Emílio Santiago, no Palco Conexões, localizado na Avenida 15 de Novembro, 701. O evento só termina na tarde de domingo, quando Sandra de Sá sobe ao palco, às 15 horas. Ainda se apresentam a banda Hillbilly Rawhide, a Orquestra Paranaense de Viola Caipira, entre outros. Maringá ainda vai realizar uma virada cinematográfica no Auditório Hélio Moreira (anexo à prefeitura), com filmes a partir das 22 horas de sábado.

Foz do Iguaçu 

Foz do Iguaçu reúne atividades em diversos espaços da cidade. O Palco Conexões, localizado na Praça da Paz, vai receber as apresentações da Orquestra Sinfônica do Paraná e Viola Quebrada, Orquestra à Base de Cordas de Curitiba e Zeca Baleiro, Banda Mais Bonita da Cidade, entre outras. Performances culturais que contemplam diferentes modalidades artísticas serão realizadas na cidade.

Curitiba

Para o estudante de jornalismo Danilo Georgete, a edição do evento em 2011, em Curitiba, teve como pontos positivos os shows e a estrutura física. No entanto, alguns problemas de organização foram notados como o cancelamento de algumas peças sem o aviso prévio ao público. “Esse ano parece que a organização está melhor, com a criação de dois novos palcos, porém o nível dos shows decaiu”, acredita Georgete, que pretende prestigiar o evento novamente.

Já para o estudante de Cinema Rudolfo Auffinger, a estrutura do evento no ano passado não foi um ponto positivo, uma vez que o Largo da Ordem não soube acomodar a todos os presentes confortavelmente. Apesar disso, destacou os shows acontecidos à tarde por terem sido de alta qualidade.

A estudante de jornalismo Jéssica Carvalho que participou da Virada Cultural no ano passado está animada para a edição deste ano. “Meu trabalho de conclusão de curso fala sobre a arte em Curitiba e a Virada Cultural é um evento marcante nesse sentido para a cidade”, explica a estudante.

Neste ano, o Palco Conexões montado pela SEEC na Boca Maldita irá receber apresentações de destaque, como Ângela Maria e Cauby Peixoto, Dudu Nobre e Nevilton. No Palco Riachuelo, o público poderá conferir a Orquestra à Base de Cordas de Curitiba e Zeca Baleiro, Trio Quintina, Arnaldo Antunes, Roberto Menescal e Coral Curumim, entre outros. A programação cultural se estende em outros espaços, como o Museu Oscar Niemeyer, Biblioteca Pública do Paraná, Centro Cultural Teatro Guaíra, Centro Juvenil de Artes Plásticas e Auditório Brasílio Itiberê.

Agenda

O que: Virada Cultural

Onde: Em cinco cidades do Paraná

Quando: Hoje (10) e domingo (11)

Programação completa: Aqui

Sexta Sem Dúvida: Erros mais comuns de Língua Portuguesa

Por Toda Letra em 9 de novembro de 2012

Pedimos para a nossa diretora geral e consultora em Língua Portuguesa, Ana Paula Mira, listar os erros mais comuns que ela já encontrou por aí. Veja a arte abaixo:

Qual deles é o pior? Você percebe outros erros comuns e piores por aí? Mande para nós!

Jornalista Reinaldo Azevedo lança novo livro em Curitiba

Por Toda Letra em 8 de novembro de 2012

Carolina Pereira

especial para a Toda Letra

O jornalista e colunista da revista Veja Reinaldo Azevedo lançou seu novo livro, “O País dos Petralhas II – o inimigo agora é o mesmo” na última quinta-feira (8), em Curitiba.

O evento começou por volta de 19h30 e estava lotado. O jornalista comentou sobra obra e ainda debateu diversos assuntos com os participantes. Seis pessoas tiveram a oportunidade de fazer perguntas ao analista político e, após o fim do bate-papo, brindes foram sorteados. Mais de 200 pessoas passaram no evento. O Shopping Estação fechou e os autógrafos continuaram.

A obra “O País dos Petralhas” é composta por uma reunião dos artigos publicados no blog do colunista na revista Veja online e trata-se das principais questões brasileiras e mundiais no século XXI. Entre os temas apresentados pelo autor estão o aborto, religião, os governos Lula e Dilma, Obama nos EUA entre tantos outros.